Reportagem nessa edição noticia a intenção do Estado de conceder a administração de três parques para a iniciativa privada. Se observadas as devidas cautelas ambientais e o respeito às características dessas áreas, a empreitada pode se constituir numa alternativa para alargar o potencial desses espaços. Por suas riquezas naturais, muitas dessas áreas se credenciam a se transformar em verdadeiras salas de aula ao ar livre para o aprendizado de educação ambiental por jovens e adultos, além de se transformarem em importantes polos turísticos.

Diante das limitações do setor público, as concessões à iniciativa privada constituem-se numa forma de garantir maior comodidade aos usuários, com a garantia da oferta de serviços. 

Todavia, como a Secretaria de Estado do Meio Ambiente já adiantou, é fundamental que haja também melhorias na infraestrutura viária, facilitando o acesso aos pontos de visitação, sem o qual o potencial turístico se esvazia.

Bem administrado, o fluxo turístico é um estímulo à preservação desses locais. Dessa forma, Goiás explora de maneira mais inteligente a enorme riqueza natural de suas terras, sob os pontos de vista educacional e turístico.