Goiânia definiu ontem o calendário de vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19, cuja aplicação aprovada pela Anvisa foi atacada, com fins eleitorais. Alheia ao vazio do debate, a Prefeitura agendou o começo da campanha para segunda -feira (17), em ordem decrescente de idade.

A Secretaria Municipal de Saúde da capital informa que serão 15 postos de saúde disponíveis para a vacinação de crianças. Os locais funcionarão das 8h às 17h, sem necessidade de agendar. Segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde, a capital tem 120 mil crianças aptas a receber a primeira dose do imunizante. As vacinas utilizadas serão da Pfizer.

Enquanto o poder público se organiza, pesquisa realizada pelo governo de São Paulo mostra uma perigosa escalada do discurso negacionista nas classes mais abastadas da sociedade. Oito em cada 10 pais no estado pretendem vacinar seus filhos contra Covid.

Quanto maior o nível de renda e de escolaridade dos adultos, porém, menor o porcentual que pretende fazer a imunização das crianças. Ao todos, 92% dos que ganham até um salário mínimo vão vacinar os filhos. Na faixa acima de três salários, o porcentual cai para 73%. Ao s pais, resta rogar que as crianças não sejam objeto de disputa ideológica.