“A floresta sou eu”. Assim começa o belo texto de Arthur Nestrovski, diretor artístico da Orquestra Sinfônica de São Paulo, sobre o programa que a Osesp apresentou esta semana na Sala São Paulo. Arthur se refere ao que poderia ter sido uma afirmação de Heitor Villa Lobos, o grande protagonista da noite.

Sob a regência de uma quase brasileira…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários