Em cartaz, a aposta de Pascal

Paul Sorvino, o ator americano que morreu na última segunda-feira, tinha o porte e a frieza de uma geladeira. Mas dentro do bloco havia uma alma delicada: era também cantor de ópera, escultor e professor.

Foi convidado em 1989 para ser um gângster em “Os Bons Companheiros”, de…

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários