Em alteração de decreto de 20 anos atrás, o governador Ronaldo Caiado (UB) abriu mão de dar a última palavra em decisões de crises na segurança pública, como eventos com reféns, grandes operações ou rebeliões em presídios.  O decreto editado pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB) criou, em 2002, a Comissão de Gerenciamento de Crises no setor, com regulamentação de pro...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários