O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) minimizou nesta terça-feira (23) a censura à imprensa durante a ditadura militar (1964-1985) e disse que são mais graves as ações recentes do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra os críticos da urna eletrônica. "É um absurdo o que acontece por aí nessas questões. Você pode criticar tudo, o papa, quem você bem entender. Agora,...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários