Atualizada às 11h30.

Goiás subiu 12 posições e ficou em 7° lugar na edição 2021 do Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal, da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). De acordo com o levantamento, baseado em dados de 2020, o Estado obteve 92,9% de acertos. Em 2019, os 85,4% de acertos foram suficientes para alcançar apenas a 19ª posição.

O ranking foi criado para avaliar a consistência da informação que o Tesouro recebe por meio do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi) e, consequentemente, disponibiliza para acesso público. São analisadas quatro dimensões: Gestão da Informação, Informações Contábeis, Informações Fiscais e Informações Contábeis x Informações Fiscais.

O desempenho de Goiás garantiu nota B, a mesma registrada em 2019. A nota A é concedida a estados com desempenho acima de 95%. Apenas Pernambuco (96,4%), Mato Grosso do Sul (95,2%) e Rondônia (95,1%) ultrapassaram a marca. À frente do Estado também estão Espírito Santo (94.3%), Paraná (94%) e Paraíba (93,3%).

Goiás atingiu seu melhor resultado (95,2%) na dimensão II (Informações Contábeis) e o pior (89,5%) na Dimensão IV (Informações Contábeis x Informações Fiscais).

A secretária de Economia, Cristiane Schmidt, avalia que o resultado melhora a imagem de Goiás junto ao Tesouro Nacional. "Começamos a colher hoje o que estamos plantando desde janeiro de 2019”, comemora, em referência às medidas de ajustes fiscais implementadas desde o início do atual governo.