A Justiça Eleitoral registrou um recorde no número de pessoas que buscam emitir ou regularizar o título de eleitor para participar das eleições deste ano. Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), foram realizados 7,2 milhões de atendimentos desta natureza nos últimos 30 dias. Em 2018, esse dado ficou em 5,4 milhões, enquanto em 2014 foi de 3 milhões.

Os atendimentos envolvem desde pedidos de novos títulos até mudança do domicílio eleitoral. O eleitor tem até esta quarta-feira (4) para regularizar sua situação a fim de estar apto a votar no pleito deste ano.

Nos últimos dias, o sistema do TSE enfrentou instabilidades. De acordo com a corte, isso ocorreu devido à alta procura à Justiça Eleitoral --nesta terça-feira (3), 770 mil brasileiros foram atendidos e, na segunda, o número foi de 685 mil.

Os atendimentos são realizados tanto na forma presencial nos cartórios eleitorais quanto pelo sistema virtual disponibilizado pelo Judiciário.

Leia também

Eleitores abaixo de 18 anos já são 69% a mais que em 2020 em Goiás

O juiz auxiliar da Presidência do TSE e coordenador da Comissão Diretiva de Tecnologia da Informação do tribunal, Sandro Nunes Vieira, afirma que a instabilidade no sistema ocorreu devido à sobrecarga na rede e nega qualquer ataque ao sistema da corte.

"Nós temos apurado que é um problema técnico normal, não é ataque hacker, é situação de excesso de demanda pura e simplesmente. Se tiver qualquer questão mais polêmica, o presidente Edson Fachin com certeza estará informando os meios de comunicação com o dever de transparência que sempre tem sido observado pelo tribunal", diz.

Ele também justifica que o trabalho vai além da alçada do Tribunal Superior Eleitoral, uma vez que também envolve as cortes estaduais, o que torna mais difícil evitar instabilidades. "Hoje, por exemplo, tivemos problema com a empresa que presta serviço na Paraíba", exemplificou.

O crescimento na procura da Justiça Eleitoral ocorre em meio ao acirramento do cenário político do país e a campanhas de celebridades para incentivar jovens de 16 a 18 anos a emitirem o título de eleitor.

Na segunda-feira (2), por exemplo, o ator Leonardo DiCaprio estimulou jovens brasileiros a participarem do pleito deste ano. Em dois posts no Twitter nesta segunda, um em português e outro em inglês, ele divulgou links de organizações que ensinam como se cadastrar no Tribunal Superior Eleitoral para obter o documento.