O Chevrolet Tracker está entre os SUVs compactos mais vendidos do Brasil. A receita do sucesso está nas cinco versões equipadas com motores turboflex 1.0 e 1.2, bem como na lista recheada de equipamentos, tecnologia, conforto e desempenho. Tudo isso é resultado da chegada do Novo Tracker em março de 2020, que passou a ser produzido no Brasil e deixou de ser importado do México, agradando em cheio o mercado e acirrando a concorrência com o Jeep Renegade, Jeep Compass, Hyundai Creta e Volkswagen T-Cross.

O Sobre Rodas testou a versão Tracker  Premier 1.0 turboflex 2022 por quase 1,5 mil quilômetros, que é vendida por R$ 132.550 nas concessionárias da marca. Externamente, a única diferença para o catálogo Premier 1.2 turbo (R$ 141.790) é o teto solar panorâmico restrito ao SUV mais caro. Os demais equipamentos são basicamente os mesmos. Ou seja, o custo-benefício do Tracker Premier 1.0 é um forte apelo para quem valoriza tecnologia, conforto, segurança e deseja um SUV que oferece equipamentos de ponta. É uma das melhores opções de compra entre os SUVs compactos.

Motorização

Vamos começar pela motorização, a cereja do bolo da nova geração do Tracker. Na versão de entrada, o modelo é oferecido com motor 1.0 turbo, câmbio manual, de seis marchas. Também é comercializado nas configurações LT, LTZ e Premier com o mesmo motor, mas com transmissão automática de seis marchas. A Chevrolet também oferece a versão topo de linha Premier com motor 1.2 e câmbio automático de seis marchas, a única a trazer teto solar panorâmico.

Ao volante, a sintonia é perfeita entre o motor 1.0 turboflex com três cilindros, injeção direta multiponto de combustível, que rende 116 cv de potência (com qualquer combustível) e 16,3/16,8 kgfm de torque (gasolina/etanol), e o câmbio automático de 6 marchas. Nas retomadas, apresentou bom desempenho com acelerações prontas, proporcionando conforto e segurança nas ultrapassagens. A direção elétrica é precisa e leve interagindo muito bem com o motorista. O rodar é bem macio e absorve os solavancos e vibrações que vem do solo.

O Tracker Premier 1.0  turboflex é econômico. Abastecido com gasolina, registrou consumo de 12,2  km/l  na cidade e 13,9 km/l na estrada. Um detalhe, no percurso de estrada cinco pessoas estavam a bordo: quatro adultos e uma criança. Conforme a Chevrolet, o SUV  faz de 0 a 100 km/h em 11 segundos e a velocidade máxima é de 177 km/h.

O modelo tem ótimo ajuste de suspensão e uma altura em relação ao solo de 157 mm, o suficiente para que passe por lombadas, valetas e buracos, com tranquilidade.  A direção elétrica é precisa e leve interagindo bem com o motorista.

Interior

O interior do Tracker Premier 1.0 turboflex oferece revestimento interno de couro de série, item importante em um SUV nessa faixa de preço. Traz ainda Wi-Fi nativo e a central multimídia MyLink de 8 polegadas com Wi-Fi nativo, conexão com Apple CarPlay e Android Auto e carregador de smartphones por indução.  

A cabine privilegia o conforto do motorista e dos passageiros. A ergonomia também é favorecida por um volante de boa empunhadura e os ajustes de profundidade e altura. O acabamento interno é esmerado.

Equipamentos

Traz assistente de estacionamento, monitoramento de pontos cegos e alerta de colisão frontal e frenagem autônoma de emergência, chave presencial, além de ser o único a contar com faróis full-led e repetidor das luzes de direção nos retrovisores, sensores de estacionamento dianteiro, traseiro e lateral, ar-condicionado digital, sensores de luz e chuva entre outros requintes exclusivos da configuração Premier em relação às demais opções.

Independentemente da versão, o Tracker é equipado de série com seis airbags, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, start stop, câmera de ré e Isofix (pontos de ancoragem de cadeirinhas infantis no banco traseiro). Traz ainda rodas de liga leve aro 17 polegadas com design exclusivo.